Publicado em Deixe um comentário

RISCO – A IMPORTÂNCIA DE UMA POLÍTICA DE AUDITORIA

A Importância de Politicas de Auditoria de Risco

No contexto atual do mundo globalizado, é fundamental que as organizações de todos os segmentos de mercado aprimorem e inovem seus recursos (humanos, operacionais, tecnológicos e ferramentas de gestão), a fim de obterem diferenciais que sustentem seus lucros em meio ao quadro de mudanças e crescente competitividade.

O desenvolvimento do cenário empresarial impõe a busca por medidas que visem minimizar as necessidades e atender expectativas a qualquer custo, os riscos potenciais de todos os processos corporativos.

Pode-se entender por risco, um elemento de surpresas que sempre se refere ao futuro. É a probabilidade de ocorrência de um evento desfavorável. É a condição que aumenta ou diminui o potencial de perdas, ou seja, o risco é a condição existente.

Prevenir falhas e evitar problemas que coloquem em risco a imagem da empresa diante dos acionistas, dos clientes e do mercado em geral, têm sido os objetivos fundamentais de toda companhia que quer garantir uma administração estável e segura.

O Papel da Auditoria de Risco

Com o objetivo de averiguar se as empresas desenvolvem suas atividades visando a consecução das metas estabelecidas, a Auditoria de Riscos conquista seu espaço e cada vez mais desempenha um importante papel. A Análise de Riscos se utiliza de vasta bagagem de informações buscando assegurar um alto padrão de planejamento e desenvolvimento, além de estabelecer ações preventivas, essenciais para o êxito das organizações.

No Brasil, a Auditoria Interna assumiu concretamente sua responsabilidade na avaliação e prevenção de riscos, o que reflete um aprimoramento dos enfoques, das metodologias e das ferramentas adotadas. O reconhecimento da importância dessa área como fator de articulação da companhia tem aumentado a exigência por um altíssimo grau de especialização nas estruturas de auditoria interna.

Uma eficiente e eficaz gestão de riscos corporativos tem por finalidade, garantir a sustentabilidade no presente e futuro dos negócios e necessita de sólida estrutura de políticas de auditoria de riscos.

Avaliação de riscos

O processo de avaliação de riscos compreende uma metodologia a ser aplicada para a percepção do risco inerente a cada operação. Considerando a necessidade de aperfeiçoamento contínuo desses critérios, haverá uma melhora na compreensão relativa da vulnerabilidade correspondente a cada processo além de propiciar a oportunidade de melhoria nos controles internos e a anulação ou redução do risco identificado.

É importante ressaltar que a avaliação de riscos pode ser realizada com vários graus de detalhamento, dependendo do risco, da finalidade da análise e das informações, dados e recursos disponíveis. A avaliação pode ser qualitativa (subjetiva), semi quantitativa, quantitativa (objetiva) ou ainda uma combinação das mesmas, dependendo das circunstâncias. Há dois parâmetros claros a serem estudados:

  1. Saber qual a chance, a probabilidade das ameaças virem a acontecer, frente à condição existente – risco;
  2. Calcular o impacto, as conseqüências para o processo impactado.

Atualmente, a dedicação das organizações ao seu negócio específico vem direcionando o crescente número de empresas que buscam parceiros confiáveis e de tradição para a terceirização das atividades que não apresentam relação direta com a tecnologia e experiência na produção dos bens ou na prestação dos serviços. 

Terceirização de Serviços de Auditoria

As vantagens da contratação de serviços de Auditoria Terceirizada estão na redução dos custos e riscos trabalhistas, pois não requer a contratação efetiva e/ou treinamento de profissionais especializados, de forma que os auditores não possuam vínculos com a administração e demais empregados da empresa, possibilitando a realização de um trabalho totalmente independente e sem conflitos de interesses.

Seguem outras vantagens da contratação da auditoria terceirizada especializada:

  • Participação intensa da continuidade dos negócios organizacionais (presente/futuro);
  • Os constantes treinamentos e experiências obtidas nos diversos clientes e ramos de atividades podem ser sugeridos e aplicados na empresa, gerando a maioria das vezes ganhos ao contratante;
  • Através de avaliações periódicas, a auditoria interna participa efetivamente da melhoria da qualidade organizacional da empresa, minimizando situações de “não conformidade” (descumprimento de especificações fixadas em normas e manuais da qualidade e visa aperfeiçoar as práticas (processos e resultados) assegurando assim metas e resultados planejados e ainda obtém total segurança quanto ao sigilo das informações.

Mais do que mitigar riscos (internos ou externos) e buscar a redução de danos à organização em situação de incidentes, sejam de ordem econômica, natural ou até um incêndio, os executivos devem pensar em caminhos e ações que garantam a continuidade de operação da corporação. As iniciativas de desenvolvimento de políticas estruturadas e eficazes de gestão de riscos devem atender toda a empresa e possibilitar a criação de diretrizes mais claras sobre quais medidas a companhia adotará.

A importância de uma política de auditoria de riscos periódica, que fiscalize todas as áreas de negócios da organização se dá como um processo de conhecimento e reconhecimento da alma da corporação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.